Top

Desde que rumamos à Grécia que sabíamos que não podíamos deixar de conhecer uma ilha, a nossa dúvida era apenas qual escolher no meio de 6.000. 😊 Mas foi só dizer que estávamos a caminho para choverem mensagem dos melhores seguidores do mundo com todas as sugestões. Escolhemos Zakynthos por fotografias, algo nos disse que esta ilha era o que estávamos a precisar! E não é que acertamos?

Fomos à Internet ver os valores do ferry e para os dois mais a Pingu rondava os 90 eur. Pareceu-nos um preço aceitável, contudo pela nossa experiência até agora, na bilheteira fica sempre mais barato.  Fomos em direcção a Kyllini, de onde partem os ferries para Zakynthos. Dirigimo-nos à bilheteira e para nossa surpresa o total eram 48 eur. What? Imaginem a diferença! Compramos então para o barco seguinte, às 21h e a viagem durou 1h30. Saímos na cidade de Zakynthos (capital da ilha) e como já era tarde decidimos procurar um Park4night ali mesmo. Instalamo-nos e começamos a planear os nossos dias.

Tínhamos lido que as praias mais paradisíacas se situavam na zona norte, por isso queríamos aproveitar que era semana para descobrir aquela zona, assim estava certamente menos gente. Saímos em direcção a Xigia Beach, uma praia com águas medicinais, percebe-se assim que se chega pelo cheiro a enxofre. Tinham-nos dito que na descida para a praia existe um caminho pela esquerda (bem acidentado entre terra batida, pedras, descidas íngremes…) que nos leva a um areal mais tranquilo e paradisíaco. Assim fizemos, e logo que avistamos a praia de cima, tivemos a certeza que seria para ali que iríamos. Conseguem perceber porquê? (O único senão desta praia é a quantidade de barcos de turismo que ali param para a malta ir a banhos. Não fosse isso, seria perfeita.)

A ilha é “van friendly”, por isso é permitido pernoitar em qualquer lugar sem problema. Consultamos a nossa App Park4night e encontramos um spot super giro a escassos km dali. Mal sabíamos nós que seria o nosso pouso para dois dias maravilhosos. Chegamos ao Porto de Agios Nikolaos ao entardecer e logo ficamos apaixonados por ele. Que lugar lindo, parecia tirado de um filme. Os barcos pareciam levitar na água transparente, um pequeno areal tranquilo com uma bonita árvore e um baloiço pendurado. E aquela casa? Bem aquela casa encaixava ali como uma luva e pareceu-nos o lugar perfeito para nos demoramos. Ali fizemos praia, fizemos mergulho, nadamos mar dentro até aos veleiros que embelezavam o porto.

Estávamos ali tão bem, mas os dias passavam e o fim de semana aproximava-se e não podíamos cair no erro de conhecer a famosa Navagio Beach ao fim de semana. Dá para ir de carro até ao view point, tem inclusive um parque de estacionamento. Saímos cedo pela manhã para apanhar a praia ainda vazia! Errado. Lemos vários blogs e nenhum nos deu esta dica importante: o sol só ilumina a praia ao final da manhã. Ainda assim, chegar ao cimo e olhar para a praia é um momento indescritível. Percebe-se facilmente o porquê desta praia ter trazido fama a Zakynthos. Tem um panorama único, diferente de tudo o que temos visto, para além de ter um navio naufragado em pleno areal (que na verdade são pedras). A sua fama deve-se ao facto de em 1980 um navio escocês ter afundado após ter sido perseguido pela guarda costeira. Dizem que carregava bebidas e cigarros da Turquia em direcção a Itália. Com o passar do tempo o navio acabou por encalhar na praia e hoje é uma atracção. Dito isto, queríamos registar esta vista da melhor forma e o view point não é o melhor ângulo para fotografias. Seguimos então um trilho pela direita, de terra batida e pedras, mas é preciso ter cuidado pois é um pouco perigoso. Chegados ao fundo encontramos uma situação que mexeu um pouco connosco: a bandeira da Grécia, uma lápide e um arranjo de flores. Ao avistarmos aquele cenário passou-nos imediatamente pela cabeça que alguém poderia ter caído dali, contudo ao aproximarmo-nos tem lá a explicação. Os pais de um rapaz que faleceu em 2016 puseram ali uma lápide em forma de banco, onde está escrito que era o seu lugar preferido do mundo inteiro, por isso quem quisesse podia sentar-se e apreciar a vista. É chocante e ao mesmo tempo maravilhoso pois daquele exacto lugar percebem-se duas coisas: Porque era a o seu lugar preferido e porque Navagio Beach foi considerada a praia mais bonita do mundo.

A praia continuava à sombra, mas o calor já era muito por isso tivemos que ir embora. A praia é inacessível por terra, então restava-nos vê-la com sol … pelo mar! Existem várias empresas com preços variáveis que fazem este tipo de viagens, contudo pelo que analisamos, a melhor opção seria um pequeno barco que sai do Porto Vromi e custa 15 eur por pessoa. Tivemos imensa sorte, o nosso barco só levava 3 casais, o que tornou a experiência muito mais tranquila e pessoal. A viagem de barco é lindíssima, com paragens nas blue caves, mas claro que o ponto alto é a chegada à Navagio. Bem, a entrada naquela baía é indiscritível, a água é tão azul que os nossos olhos não suportam. Obviamente que estava carregada de barcos de turismo, mas naquele momento isso nem parece assim tão mau. O barco deixou-nos na praia durante 45 minutos e foi aproveitar ao máximo, desde fotografias, vídeos, mergulhos, queríamos fazer render cada minuto passado naquela, que para nós, era a praia com a água mais azul que os nossos olhos tinham visto. Navagio, tens o nosso voto de mais bonita do mundo!

Com as emoções ainda a fervilhar chegamos ao Porto Vromi cheios de fome e decidimos almoçar lá no bar. Nesta ilha cada recanto tem um encanto … é incrível. O bar não tinha o melhor aspecto do mundo, não fosse a paisagem e jamais nos teríamos sentado ali. Pedimos uma salada grega e umas espetadas de frango e soube-nos a banquete porque aquela vista fez daquele almoço um momento memorável.

Esta zona oeste de Zakynthos é a mais inabitada e com poucas estradas. É caracterizada pelas grandes encostas e falésias enormes e um azul turquesa do mar tão dominante que nos fazia querer parar a cada quilómetro percorrido para tirar fotografias.

Próxima paragem Limnionas, uma zona balnear, mas sem praia de areia. As pessoas estendem as toalhas em cima das rochas ou então nas camas alugadas no bar. Muito bonito, água bastante clara, imensa gente a fazer mergulho, vale bem a pena uma paragem aqui.

Queríamos ver o por do sol, que é deste lado da ilha, e por isso seguimos em direção a Porto Roxa, pois vimos no mapa que lá tinha alguns bares. Apaixonamo-nos de imediato pelo pequeno porto de pesca, com malta a saltar da prancha para a água, homens nos barcos a coser as redes, que ambiente encantador. Era ali que queríamos terminar o nosso dia, a beber um sumo e a relaxar. A Taberna Giorgios pareceu-nos o ideal com aquelas espreguiçadeiras convidativas, mesmo em cima do porto. O aluguer de cada cadeira custa 4 eur, mas tínhamos visto no bar do lado que eram grátis e perguntamos se ali também não seriam, e a senhora simpaticamente respondeu que não, mas que nos oferecia as bebidas.  Melhor impossível, um final de tarde maravilhoso. Ficamos ali até o bar fechar e depois dormimos no parque de estacionamento.

Recebemos um convite para almoçar, do Nobelos Restaurant. Apesar de já estarmos do outro lado da ilha, achamos que os 50 min de caminho valiam bem a pena. Tínhamos adorado aquela zona do Porto de Agios Nikolaos e o restaurante era lá ao lado. Fomos ainda antes do almoço para aproveitarmos a praia e conseguirmos desfrutar de todo aquela envolvência tão bonita. O espaço é realmente encantador, tem hotel, restaurante, praia privada, tudo com muito bom gosto, muito bem decorado, música ambiente, pessoas super simpáticas, mais do que necessário para ali passarmos um dia incrível. O nosso almoço foi delicioso, deixamos ao critério da funcionária, apenas dissemos que queríamos provar o típico da gastronomia grega. E assim foi…desde as entradas à sobremesa, tudo maravilhoso, bom, bonito e muito bem servido. Sentimos que passamos horas à mesa a deliciarmo-nos com aquelas iguarias …e passamos mesmo, eram 16h30 quando voltamos para a praia. Foi um dia muito bem passado, adoramos a forma como fomos recebidos no Nobelos. Obrigado!

Ainda não tínhamos conhecido as praias do Sul, com areal maior, mais movimentadas, frequentadas por famílias, e então escolhemos a Keri Beach pois dali saem os barcos para a Marathonisi Island, a ilha das tartarugas e nós queríamos muito visitá-la.

É conhecida assim não só pelo seu formato visto de longe, parece uma tartaruga, mas também porque esta ilha se trata do maior ponto de desova de tartarugas de toda a Grécia.  O parque de estacionamento é grande e tem umas árvores com sombrinhas, pareceu-nos perfeito para acamparmos ali. Pela manhã dirigimo-nos à barraca de aluguer de barcos que fica junto à praia e qual não foi o nosso espanto quando nos disseram que os barcos são alugados sem tripulação, isto é, somos nós próprios a conduzi-lo e não é necessário carta. Que espectáculo! Aquilo suou-nos a uma experiência incrível. Pagamos 50 euros por 2h e visitamos as grutas e a ilha da tartaruga. Navegar naquela água azul turquesa, parar e mergulhar quando queríamos, foi sem dúvida do melhor que experimentamos na ilha. Contudo tartarugas nem vê-las … mas valeu por tudo o resto!

Ficamos tão fãs da gastronomia grega que não queríamos vir embora sem provar mais uns pratos tradicionais. Escolhemos ali na zona de keri, o Restaurante Konaki, onde provamos a típica e deliciosa Moussaka.

Passamos quase uma semana em Zakynthos e ainda assim foi difícil decidir que tinha chegado o momento de vir embora. Os 30 minutos até ao ferry foram feitos em silêncio, como se nos estivéssemos a despedir e a relembrar tudo o que ali passamos. Não tínhamos bilhete de regresso por isso tivemos que nos dirigir ao gabinete do Levante Ferries, a 1km do porto onde iriamos embarcar.

Tudo pronto, estava na hora de deixar para trás aquela ilha que jamais nos sairá do coração e partir à descoberta do continente grego!

Zakynnthos, YOU ROCK.

 

Sejam felizes,

Mochileiros

nav 5

Comments:

  • 1 de Julho, 2019

    Maravilhoso meninos… Que só me apetece ir para Ilha 🏝 😂 beijinhos

    reply...

post a comment